Buscar

Campanha da Sinergia Animal auxilia pessoas em transição para dietas sustentáveis em 2021

Atualizado: Jan 19

Organização de proteção animal, Sinergia Animal, oferece apoio àqueles que querem experimentar uma dieta vegetal




Com as informações sobre alterações climáticas, direitos animais e produtos mais saudáveis e sustentáveis ficando cada vez mais acessíveis, a quantidade de pessoas considerando uma dieta vegana aumenta a cada ano. Em 2018, 70% da população mundial declarava estar reduzindo o consumo de carne. Esse movimento tem sido encorajado por organizações de proteção animal, como é o caso da ONG Sinergia Animal, que organiza desafios veganos para consumidores em três regiões diferentes do mundo, incluindo a América Latina.


Embora o veganismo seja frequentemente associado com regiões europeias e norte-americanas, as populações em países em desenvolvimento também demonstram o mesmo padrão. Este é particularmente o caso na América Latina, especialmente com gerações mais novas, onde 37% da população declara ter adotado uma dieta mais baseada em vegetais.


“Nós ajudamos as pessoas a fazer essa transição para uma dieta livre de laticínios através de nosso Desafio dos Leites Vegetais, no qual fornecemos apoio por meio de orientações com base em estudos nutricionais, receitas e outras dicas. Nós consideramos que o aspecto mais importante, entretanto, é sobre como nossos desafios nos permitem acolher e construir uma relação descontraída e amigável com as pessoas”, afirma Mirelle Coppi, coordenadora de ativismo e comunicações da Sinergia Animal.


Um ano novo, uma nova solução


Durante a pandemia de Covid-19, o olhar público tem assistido de perto o debate científico e, consequentemente, a discussão e os argumentos sobre as relações entre produção e consumo de produtos de origem animal e as alterações climáticas, sustentabilidade e saúde pública. “Há evidência científica comprovando as correlações entre a pecuária e o risco de emergência de novas doenças infecciosas. Novas pandemias podem ter início em porcos e galinhas criados em fazendas de pecuárias intensiva”, diz Coppi. Segundo as Nações Unidas, 75% de todas as novas doenças infecciosas se originam em animais e na pecuária intensiva. Unidades de produção que confinam milhares de animais amontoados podem ser uma ponte para a transmissão de novas doenças entre animais e humanos.


Além disso, ativistas argumentam que dietas vegetais representam um posicionamento ético em relação aos animais, uma escolha por uma alimentação potencialmente mais saudável e uma opção mais sustentável para o meio ambiente. “Estamos otimistas de que estas e outras razões motivarão muitas pessoas a darem uma chance à dieta vegetal e a se juntarem à nossa comunidade vegana em 2021, especialmente como resolução de ano novo”, afirma Coppi.


Um ano novo, um novo desafio


O Desafio dos Leites Vegetais da Sinergia Animal oferece apoio comunitário àqueles que procuram orientação para mudarem seus hábitos alimentares no Brasil. Neste ano apenas, mais de 18 mil pessoas na América Latina se registraram para tentar uma dieta vegana através de suas campanhas. Além de oferecer apoio com dicas nutricionais, Coppi e a equipe da Sinergia Animal também providenciam, por meio do desafio, dicas de receitas veganas, informação sobre sustentabilidade e indicações de produtos, estabelecimentos e profissionais especializados em alimentação vegetal.


Você pode se inscrever de graça no Desafio dos Leites Vegetais aqui.