• Aline Baroni

7 surtos de doenças que começaram por causa do consumo animal

O mundo está assustado com os trágicos avanços do Covid-19. Em apenas alguns meses, houve mais de 45 mil mortes, especialmente na China e na Itália, e nenhuma expectativa de terminar tão cedo.

Você já parou para pensar em como isso acabou sendo uma das maiores pandemias das últimas décadas? Um mercado de animais vivos na província de Wuhan, na China, onde as pessoas compravam todos os tipos de animais para comer, foi determinado como o início de tudo. Mas você sabia que esta não é a primeira vez que a exploração e o consumo de animais levam a um surto de doença grave? Mostraremos alguns deles:

COVID-19 Não devemos esquecer que a pandemia que atualmente choca o mundo tinha um fator-chave, um mercado de animais vivos, onde os animais eram vendidos para consumo humano, na China. Até agora, em apenas algumas semanas, houve mais de 45 mil mortes e quase 500 mil pessoas infectadas.

HIV / AIDS A teoria mais aceita sobre as origens do HIV é que os primeiros humanos infectados foram caçadores. De alguma forma, enquanto abatiam chimpanzés, eles entraram em contato com sangue ou fluidos corporais, infectando-se através de feridas abertas na pele. Décadas depois, em 2018, 37,9 milhões de pessoas em todo o mundo viviam com HIV, um vírus que pode causar a síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS), que está ligada a um sistema imunológico progressivamente mais fraco, abrindo oportunidades para infecções e cânceres oportunistas prosperarem.

Salmonella Quase um em cada três surtos de origem alimentar na União Europeia em 2018 foi causado por Salmonella, uma bactéria que pode até matar. A doença é geralmente transmitida aos seres humanos por meio do consumo de alimentos de origem animal contaminados, principalmente carne vermelha, de frango, ovos e leite.

Escherichia coli E. coli é uma bactéria inofensiva presente em nossos tratos gastrointestinais. No entanto, algumas cepas virulentas podem causar intoxicação alimentar grave. O reservatório de uma das estirpes mais estudadas do E. Coli, que pode levar a diarréia hemorrágica e insuficiência renal, é principalmente o gado, o que explica por que a bactéria é transmitida aos seres humanos sobretudo pelo consumo de alimentos de origem animal contaminados, como carne crua e mal cozidas. Boas práticas de abate reduzem a contaminação das carcaças pelas fezes, mas não garantem a ausência de E. coli nos produtos.

Gripe suína H1N1, H1N2, H2N1, H3N1, H3N2 e H2N3 são todos os tipos de vírus encontrados em porcos explorados para produção de carne. A pandemia de 2009 começou em abril, nos EUA e no México, e mais de 214 países e territórios notificaram a pandemia, incluindo mais de 18449 mortes. Este número refere-se apenas a casos confirmados em laboratório; estudos estimam que esse número possa ser na realidade mais de 15 vezes maior.

Gripe aviária Da mesma forma que a gripe suína, este é um vírus influenza adaptado às aves. Entre 1996 e 2008, os vírus HPAI, os mais conhecidos entre a gripe aviária, surgiram pelo menos 11 vezes. Estudos mostram que o surgimento de novos surtos está diretamente relacionado à produção de aves, muito intensificada devido à demanda comercial. Para se ter uma ideia, nos anos 90, a população mundial de aves cresceu 76% nos países em desenvolvimento.

Foto: Andrew Skowron

Doença da vaca louca É uma doença que faz com que o cérebro da vaca adquira aparência esponjosa, o que compromete gravemente seu sistema neurológico. A doença da vaca louca é causada por uma versão anormal de uma proteína chamada príon, e as vacas a pegam quando, por exemplo, partes de uma vaca que não são comidas por humanos são dadas como alimento para outras vacas. Os seres humanos que comem carne contaminada com o tecido do sistema nervoso central são infectados com uma variante chamada doença de Creutzfeldt-Jakob, que mata em um ano destruindo as células cerebrais humanas. Em 2019, 232 pessoas foram infectadas e, infelizmente, todas morreram.

O alto número de surtos causados pela exploração animal pode acontecer por várias razões. Ou por causa da intensificação da agricultura animal, em confinamento extremo e más condições sanitárias; o crescente uso de antibióticos na agricultura animal; aumentar a resistência a essas substâncias; seja por causa do consumo de animais silvestres portadores de doenças graves; ou por causa do desmatamento causado pela criação de animais, que nos expõe mais a animais selvagens.

Mas uma coisa é certa: se não pararmos de explorar e consumir animais, é provável que situações como essa ocorram cada vez com mais frequência. Por favor, ajude o mundo a se tornar um lugar mais seguro para todos. Clique aqui para iniciar uma dieta vegana agora.