• Berenice Taboada Díaz. Tradução: Aline Baroni

5 dos maiores jornais do mundo destacam relação produção animal e pandemia

Apesar da Covid-19 ter provavelmente começado com animais selvagens, diversos especialistas alertam que a produção animal, muito intensificada nas últimas décadas por causa do aumento da demanda por carne, leite e ovos, provavelmente será a causa das próximas pandemias. Há muitas razões para isso: fazendas imundas e superlotadas, poluição causada pela pecuária, mudanças climáticas, uso irresponsável de antibióticos e desmatamento.

A relação entre produção animal e pandemias parece ser inegável e precisamos começar a repensar nossa relação com os alimentos e a maneira como tratamos os animais. Alguns dos maiores e mais credíveis jornais do mundo, como The New York Times, The Guardian, Bloomberg, Time e The Independent, têm destacado essa relação intensamente. Veja o que eles dizem.

Foto: We Animals

1. A maneira cruel como tratamos os animais levou ao Coronavírus (New York Times, 13 de abril de 2020)

O New York Times destaca que prejudicar os animais pode causar danos consideráveis aos seres humanos, pois muitas doenças zoonóticas (aquelas que se originam nos animais e depois infectam as pessoas) surgem devido a forma como os humanos tratam os animais. Quer seja nos mercados úmidos (onde os animais vivos são alojados em condições extremamente precárias até serem vendidos e abatidos) ou em granjas industriais (onde os animais também são criados em condições intensas e recebem antibióticos sem nem estarem doentes), o mesmo sistema alimentar que é cruel com os animais é também o que está colocando em risco nossa própria espécie.

Leia um trecho: “A prevenção real requer medidas para minimizar as chances de o vírus ou outros agentes infecciosos emergirem, antes de mais nada. Uma de várias medidas cruciais seria uma avaliação mais inteligente - e mais compassiva - da forma como tratamos os animais não humanos, e uma devida resposta para isso.”

Foto: We Animals

2. A pandemia de Covid-19 mostra que precisamos transformar nosso sistema alimentário global (The Guardian, 16 de abril de 2020)

O jornal britânico afirma que chamar o Covid-19 de "vírus de Wuhan" não é apenas xenófobo, mas também impreciso, pois as zoonoses surgem no mundo todo, muitas vezes tendo a agricultura animal industrial como fator determinante. Exemplos disso são a gripe suína e a gripe aviária. A situação fica ainda mais grave quando granjas industriais invadem habitats selvagens, criando oportunidades para bactérias e vírus se espalharem entre os animais animais e então para seres humanos. A produção animal também contribui para a resistência a antibióticos e as mudanças climáticas, fatores que favorecem o surgimento de novos surtos. O artigo é direto e claro, e diz que precisamos mudar nossos sistemas alimentares, e que as pessoas estão dispostas a comer mais vegetais, se isso fizer parte de um esforço coletivo, de saúde pública.

Leia um trecho: “Individualmente, devemos parar de comer produtos de origem animal. Coletivamente, devemos transformar o sistema alimentar global e trabalhar para acabar com a produção animal e devolver à natureza boa parte do mundo ”.

3. Prevenir a próxima pandemia pode começar com nossas cadeias de suprimentos (Bloomberg, 1 de abril de 2020)

A Bloomberg, uma veículo focado em finanças, enfatiza que as pandemias nem sempre foram preocupação, mesmo para os investidores focados em questões ambientais, sociais e de governança. Porém, após a Covid-19, muitos investidores passarão a desinvestir em negócios mais expostos ao risco de uma próxima pandemia e de zoonoses. Segundo o texto, os investidores podem reduzir seus riscos descartando empresas envolvidas com produção agrícola intensiva ou com desmatamento. Eles também podem pressionar as empresas de carne a reduzir o uso de antibióticos ou investir em fabricantes de alternativas à carne.

Leia um trecho: “Jeremy Coller, diretor de investimentos da Coller Capital, concorda. Também fundador da rede de investidores com sede em Londres Farm Animal Investment Risk & Return, Coller vê mais más notícias para grandes empresas de carne, que já estão sendo criticadas por modelos de negócios ambientalmente destrutivos. "Depois da Covid-19, muitos investidores desviam o capital daqueles negócios mais expostos ao risco da próxima pandemia", diz Coller. 'Ou seja, produtores tradicionais de proteína animal que não conseguem atuar em áreas como clima ou proteínas alternativas".

Foto: We Animals 4. Coronavirus: produção animal intensiva causou a maioria das doenças infecciosas e oferecem risco de novas pandemias, especialistas alertam (Independent, 8 de maio de 2020)

O Independent afirma que a produção animal industrial causou a maioria das novas doenças infecciosas em humanos na última década e agora corre o risco de iniciar novas pandemias. Para apoiar a alegação de que as granjas industriais são "focos de propagação de patógenos", eles citam pesquisadores da Universidade de Sheffield e Bath, que alertaram sobre os riscos da pecuária intensiva, uso excessivo de antibióticos, alto número de animais e baixa diversidade genética.

Leia um trecho: "Uma grande proporção de todas as doenças infecciosas em humanos são originárias de animais, e mais especificamente a maioria das novas infecções emergentes em humanos nos últimos 10 anos realmente provém de animais ou alimentos de origem animal".

5. Precisamos repensar nosso sistema alimentar para evitar a próxima pandemia (Time, 13 de abril de 2020)

Como impedimos que as pandemias aconteçam novamente? De acordo com este artigo da revista Time, fazendo o possível para evitar que doenças infectem humanos em primeiro lugar. E isso significa reavaliar nosso relacionamento com o mundo natural, e particularmente com os animais. A revista ouviu cientistas que destacaram que alguns dos últimos surtos de gripe, por exemplo, começaram na produção animal. As fazendas industriais colocam a saúde pública em perigo, pois têm milhões de animais, quase que clones genéticos, em espaços muito reduzidos. Um patógeno introduzido em uma população de galinhas nessas condições pode atravessá-la sem qualquer resistência genética que retarde seu progresso.

Leia um trecho: “Novas zoonoses continuam surgindo. Podemos impedir ou pelo menos retardar seu avanço, mas para isso precisamos começar a falar sobre nossas escolhas de estilo de vida e as indústrias que as satisfazem. A hora de fazer isso é agora".

Foto: We Animals Além desses cinco artigos, muito mais foi publicado. Você pode ler mais na Newsweek, The Guardian, Washington Post e Forbes. Mas se essa informação já é prova suficiente para te convencer de que a produção animal está colocando não apenas animais, mas também nosso planeta e saúde em risco, é hora de mudar! Clique aqui para saber como.