• Aline Baroni

Sim, carne causa câncer — aqui está tudo que você precisa saber

Uma em cada seis mortes no mundo se devem ao câncer, fazendo da doença a segunda principal causa de mortes (perdendo apenas para doenças cardiovasculares). Mas e se pudéssemos evitar essas mortes? Na verdade, a gente pode pelo menos reduzir esse número drasticamente com uma simples mudança em nossa dieta: diversos estudos mostram que essas enfermidades estão diretamente relacionadas ao consumo de produtos animais, especialmente carne.

Não somos nós dizendo. É ninguém menos que a Organização Mundial da Saúde, agência da ONU. Em 2014, 22 especialistas de 10 países revisaram mais de 800 estudos epidemiológicos para avaliar como o risco de câncer se relaciona com o consumo de carne processada e vermelha.

A conclusão? Carnes processadas como salsichas, presunto, bacon e outras foram classificadas no Grupo 1, o que quer dizer, segundo a ONU, que há "evidências convincentes de que esses agentes causam câncer". É o mesmo grupo em que estão os cigarros, amianto, radiação ultravioleta e álcool.

A carne vermelha foi classificada no Grupo 2A, como provável cancerígena para humanos, o que significa que há evidência epidemiológica limitada mostrando a relação entre o consumo de carne vermelha e o desenvolvimento da doença.

Números não mentem

Eles descobriram que comer 50 gramas de carnes processadas todos os dias aumenta o risco de câncer colorretal em 18%. É o equivalente a quatro fatias de bacon ou uma salsicha de cachorro quente. Para carnes vermelhas, há evidência de um aumento no risco de cânceres colorretal, pancreático e de próstata.

Uma grande parte do risco está relacionada à sua preparação. Quando a carne vermelha, de frango ou frutos do mar são cozidos a altas temperaturas, são liberados heterocíclicos aromáticos. E quando a gordura e sucos da carne caem diretamente sobre uma superfície quente ou sobre o fogo, causando chamas e fumaça, hidrocarbonetos policíclicos aromáticos são formados. Quando metabolizados por enzimas de nossos corpos, alguns dos produtos desse processo podem causar danos ao DNA das células, o que torna ambas as substâncias cancerígenas. No caso das carnes processadas, ainda há um bônus: ela está recheada de aditivos químicos, entre eles os nitritos.

Além disso, pesquisas sugerem que o consumo de carne contribui tanto quanto o açúcar para o crescimento da prevalência global de obesidade. E o sobrepeso e a obesidade são importantes fatores de risco para o câncer.

Riscos para mulheres

Para mulheres, um estudo realizado pela Universidade de Sorbonne e publicado pelo British Medical Journal descobriu que um aumento de 10% no consumo de alimentos processados esteve relacionado a um aumento de 12% no risco de desenvolvimento de determinados tipos de câncer. Entre os produtos listados como potencialmente carcinogênicos estão nuggets de frango e outras carnes processadas, o que corrobora as conclusões da OMS.

Outra pesquisa, da Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard, descobriu uma relação entre o alto consumo de carne vermelha e o câncer de mama. Comparadas com mulheres que consumiam apenas uma porção de carne vermelha por semana, aquelas que consumiam uma porção e meia pareceram ter 22% mais chances de ter câncer de mama.

Mais vegetais, menos carne

Vamos destacar uma informação aqui: uma porção e meia por dia. É cerca de 100g. Pare por um segundo e pense em quanto você come.

Isso quer dizer que mesmo pequenas porções de carne podem causar câncer. Foi isso que também revelou um estudo da UK Biobank. Depois de cinco anos analisando meio milhão de homens e mulheres que se voluntariaram para participar do projeto de pesquisa, eles descobriram que aqueles que comiam em média 76g de carne vermelha ou processada por dia tiveram 20% mais risco de desenvolver câncer de intestino do que os que comeram em média 21g por dia.

Uma dieta vegana balanceada, repleta de frutas, legumes, verduras e grãos, é rica em antioxidantes que têm um papel importante na prevenção de câncer. Vegetais crucíferos como brócolis, repolho, couve-flor e couve estão sendo estudados por evidências que mostram que eles podem ajudar a combater o câncer e inibir a migração de células tumorosas que causam metástase.

Não é de se espantar que em praticamente todo estudo que encontramos os cientistas são unânimes em dizer: coma mais vegetais! Coma menos carne. Nós dizemos o mesmo. É bom para a sua saúde, para os animais e para o meio ambiente. Veja aqui como começar e nos ajude a disseminar essa ideia se juntando ao nosso grupo de voluntários.