• Aline Baroni

9 motivos por que não deveríamos comer ovos

A forma como se produz ovos na maior parte do mundo faz com que essa seja considerada uma das piores formas de crueldade animal. Mas o problema que se esconde por trás dos ovos vai muito além: há também potenciais danos à saúde e ao meio ambiente.

Listamos os nove principais motivos pelo qual todos deveriam deixar de comer ovos:

1. Galinhas passam suas vidas no espaço de uma folha de papel A4

As galinhas confinadas em gaiolas de bateria, que é o caso da maioria das galinhas poedeiras, passam suas vidas inteiras em uma gaiola lotada, sem espaço para abrir suas asas completamente, caminhar ou poder ter comportamentos naturais da espécie, como ciscar. Além do sofrimento físico que isso as impõe (muitas perdem suas penas do corpo pelo contato com o metal das grades), estudos científicos comprovam que nesse sistema as galinhas, seres naturalmente curiosos e ativos, ainda se sentem estressadas e frustradas.

Foto: We Animals

2. Pintinhos fêmea são debicados

Literalmente, seus sensíveis bicos são cortados por uma chapa de metal quente quando elas têm apenas poucos dias de vida, em um procedimento bastante doloroso. Isso porque, devido à superlotação das gaiolas, é comum que as galinhas biquem umas às outras como decorrência do estresse, o que pode até mesmo resultar em surtos de canibalismo que levam muitas a morte.

3. Pintinhos macho são triturados vivos

Parece mito, mas não é. Para repor as galinhas poedeiras, que têm uma vida bastante encurtada por sua péssima qualidade de vida, é necessário chocar ovos. As fêmeas que nascem serão colocadas nas gaiolas para reiniciar o ciclo da produção de ovos. Já os machos, sem serventia para a indústria, são mortos com técnicas absolutamente terríveis, como triturados enquanto ainda vivos e conscientes, ou sufocados em sacos plásticos.

4. Quando já não produzem mais ovos, galinhas são abatidas

Na natureza, uma galinha pode viver até cerca de 10 anos. Porém, na indústria dos ovos, quando seus corpos estão esgotados de botar ovos, e pela sua péssima qualidade de vida, elas já não produzem mais suficientemente para gerar lucros e são abatidas com aproximadamente dois anos. Isso quer dizer que, longe de ser inofensiva, a produção de ovos é tão (ou até diríamos mais) cruel que a da carne.

5. Consumo excessivo de ovos está relacionado a problemas cardiovasculares

Parece óbvio, e é: ovos são alimentos ricos em colesterol, e o alto consumo dessa substância aumenta a incidência de doenças cardiovasculares, incluindo problemas de coração e derrame, e também o risco de morte. Mais precisamente, 300 mg de colesterol por dia está relacionado a 17% mais risco de doenças cardiovasculares e um risco 18% maior de morte. Um ovo cozido tem 186.5 mg de colesterol. Apenas três ovos por semana já é suficiente para aumentar o risco de doenças cardiovasculares e morte.

6. E também a um maior risco de progressão do câncer de próstata

Um estudo realizado pela Universidade de Harvard concluiu que, comparados a homens que dificilmente comiam ovos, aqueles que comiam até menos do que um por dia tiveram duas vezes mais risco de progressão ou reincidência do câncer de próstata. Acredita-se que isso se deve à colina presente nos ovos, que aumenta a inflamação do corpo.

7. A produção de ovos coloca em risco a saúde pública mundial por causa da salmonela

Esse ano, dezenas de pessoas ficaram doentes no Reino Unido após comerem ovos contaminados com salmonela, e essa isso infelizmente acontece com mais frequência do que gostaríamos. A doença pode levar à morte, sobretudo de crianças e idosos, e é extremamente comum em locais onde se criam aves, especialmente quando há confinamento intenso.

8. E daí se pega pesado nos antibióticos para combater doenças

Para prevenir a proliferação de doenças em sistemas altamente artificiais e industriais, alguns produtores de ovos usam antibióticos de forma contínua, mesmo quando os animais não estão doentes. E aí entra outro problema: de acordo com a ONU, a resistência a antibióticos é uma das maiores ameaças à saúde global, segurança alimentar e desenvolvimento, e está relacionada diretamente ao uso indiscriminado de drogas, seja para humanos, seja para a produção animal.

9. Produção de ovos está relacionada a contaminação da água e do solo

Muito se fala dos impactos ambientais da carne vermelha, mas os ovos são importantes fatores de contaminação da água e do solo. Cientistas da Universidade de Oviedo, na Espanha, analisaram os efeitos da produção intensiva de ovos e concluíram que ela tem impactos importantes para a água e o solo, sobretudo relacionados ao tratamento dos dejetos, alimentação das galinhas e reposição dos animais devido à sua baixa expectativa de vida.

Qualquer que seja a forma de produção dos ovos, ela tem impactos diretos na vida de milhões de animais, do meio ambiente, e da saúde e segurança das pessoas. Nós não precisamos desse produto, ou de nenhum produto de origem animal, para termos uma dieta saudável e diversificada. Clique aqui para começar uma dieta vegana agora.