• Aline Baroni

Concentração de gases de efeito estufa bate record em 2018

Em meio a discussões sobre o aquecimento global e o futuro do planeta, o ano de 2018 bateu um record: no ano passado houve a maior concentração de gases de efeito estufa na atmosfera desde que começaram os registros, de acordo com a Organização Meteorológica Mundial da ONU. Os níveis de CO2 atingiram mais do que o limite aceitável de 407,8 partículas por milhão e a níveis muito maiores do que a média dos últimos 10 anos. Metano e ácido nitroso, que são respectivamente 60% e 40% emitidos por atividade humana, também bateram records.

No entanto, esse relatório não considera emissões de gases, mas sim as partículas que ficam na atmosfera. A última vez que a Terra teve esse nível de concentração de CO2 foi cerca de 3 a 5 milhões de anos atrás, época em que a temperatura do planeta era entre 2 e 3°C mais alta e o nível dos oceanos de 10 a 20 metros mais alto que hoje.

A situação é tão séria que até mesmo as metas do Acordo de Paris não são mais suficientes para mitigar o aquecimento global, especialmente depois que os Estados Unidos abandonaram o compromisso. Agora, a ONU diz que as emissões de gases de efeito estufa tem que cair pela metade antes de 2030, de modo que a temperatura média global aumente apenas 1,5°C comparada aos tempos pré-industriais. Se isso não acontecer, a temperatura pode aumentar 3,2ºC, o que parece já estar acontecendo, uma vez que junho de 2019 foi o mês mais quente já registrado na Terra.

Qualquer tempo pedido depois de 2020 pode tornar o objetivo de limitar o aquecimento global a 1,5°C inatingível e, nesse caso, nosso planeta enfrentaria uma série de desastres naturais como ondas de calor e tempestades impetuosas. A escalada da crise climática pode comprometer até mesmo os direitos humanos, criando um "apartheid climático", de acordo com o especialista em direitos humanos da ONU Philip Alston. As consequências vão das mais palpáveis, como direitos básicos à água, alimentos e moradia, até outros menos óbvios, como ameaças à democracia e direitos civis e políticos.

Mas o que está causando tudo isso?

Um relatório vazado da ONU em agosto diz que, entre as medidas necessárias para salvar o mundo, uma delas é uma virada significativa para a dieta vegana. Isso porque a produção animal responde por algo em torno de 14,5% e 18% de todas as emissões humanas de gases de efeito estufa. De acordo com a FAO, a carne de boi responde por 41% das emissões do setor, enquanto a produção de leite representa 20%. Tudo conta: desde a produção de alimentos para os animais, o processo de digestão de ruminantes e até o tratamento dos dejetos.

Para você ter uma ideia, a produção animal é responsável por mais gases de efeito estufa do que todo o transporte do mundo combinado! É curioso, porque quando pensamos em reduzir nosso impacto ambiental, a primeira coisa que vem à nossa cabeça é parar de usar carro, certo?

Mas dá uma olhada nisso: em 2016, só três das maiores empresas de proteína animal do mundo — JBS, Cargill e Tyson — são responsáveis por mais emissões de gases de efeito estufa do que a França. As cinco maiores empresas do agronegócio são mais poluentes do que as principais petrolíferas, como Exxon, Shell e BP.

Outros impactos ambientais

Isso para não falar de outros importantes impactos ambientais causados pela produção animal. Por exemplo, você sabia que mais de 75% das terras agricultáveis do mundo (uma área equivalente a Estados Unidos, China, União Europeia e Austrália combinados) são usadas para produção de carne e leite? Muitas dessas áreas são originalmente florestas nativas e acabaram desmatadas por causa de interesses comerciais.

Fica ainda pior quando consideramos que esses produtos fornecem apenas 18% das calorias e 37% das proteínas que consumimos. Um uso completamente desproporcional de nossos recursos!

De acordo com a ONU, mais de 70% da água doce utilizada no mundo foi para a agricultura. Considerando que a maior parte dos grãos produzidos são destinados para alimentar animais, podemos dizer que os animais estão consumindo parte significante das nossas reservas de água.

O que vai acontecer em nosso planeta nos próximos anos é uma preocupação generalizada. E ao mesmo tempo que é verdade que há muito a ser feito nos âmbitos político e legal, há muitas coisas que você mesmo pode mudar em sua rotina para ajudar o meio ambiente. Uma das decisões mais significativas que você pode tomar é parar de consumir produtos de origem animal como carne, laticínios e ovos. Clique aqui para saber como começar.

Você já é vegano ou quer ajudar ainda mais? Por favor, considere fazer-nos uma doação.